SOCIEDADE ASTRONÔMICA BRASILEIRA

A COSMOLOGIA EM TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE ENSINO DE ASTRONOMIA NO BRASIL (CP30)

Autores: 

Maria Cecilia Queiroga Bazetto (UFSCar) e Paulo Sergio Bretones (UFSCar)

Palavras-chave: 

cosmologia, estado da arte, pesquisa acadêmica

Neste trabalho são apresentados os resultados de uma pesquisa sobre um estudo de descrição e análise da produção acadêmica, denominada de “estado da arte”, utilizando teses e dissertações brasileiras relacionadas ao ensino de Astronomia, que tratam do tema Cosmologia.

Para tanto, foi feito um levantamento junto ao Banco de Teses e Dissertações sobre Educação em Astronomia (BTDEA-UFSCar).

Dentre 67 pesquisas produzidas entre 1973 a 2010 foram localizadas 11 que tinham a Cosmologia como um de seus temas. Elas foram estudadas em função dos seguintes aspectos: grau de titulação acadêmica, instituição, nível escolar e foco temático.

Foram localizadas 9 (81,8%) dissertações de mestrado e 2 (18,2%) teses de doutorado.

As instituições que mais publicaram foram USP e UNICSUL, ambas com 27,3%, seguidas da UFRGS e UFRN com 18,2% e com 9,1% a UNICAMP. 

Quanto ao nível escolar, 54,5% dos trabalhos são voltados ao Ensino Médio, 18,1% Ensino Fundamental II e Ensino Superior e 9,1% Geral. Para a maioria dos autores, os alunos deste nível têm maior capacidade de abstração e é mais difícil de se trabalhar esse tema em níveis anteriores. Contudo, outros defendem que é possível trabalhar o assunto com alunos do Ensino Fundamental e também o público em geral.

Na análise do foco temático, observa-se maior concentração  em estudos sobre Conteúdo e Método 54,5% (6 pesquisas). São trabalhos que analisam a forma como o conhecimento científico é difundido por meio de métodos e técnicas de ensino-aprendizagem. Tais trabalhos tratam de abordagens construtivistas e desenvolvimento cognitivo dos alunos em atividades que os motivam a trabalhar com o tema e para se introduzir os estudos de  Física. Estes trabalhos também abordam o tema  como elemento de ligação da Física com outras disciplinas.

Tendo o foco como Formação de Conceitos, foram localizados 27,3% das pesquisas que analisam o desenvolvimento de conceitos por alunos ou professores. Isto foi investigado por meio de questionários aplicados antes e depois de intervenções em avaliações, tarefas e entrevistas para o acompanhamento da evolução conceitual.

Com a mesma porcentagem temos o foco Formação de Professores na formação inicial e continuada.

Nos trabalhos analisados, 18,2% tratam de análises de Currículos e Programas nos quais são mencionados conteúdos de Cosmologia em propostas de disciplinas de licenciatura e cursos de formação continuada para professores.

Verificou-se, por meio deste estudo, que a tendência dos trabalhos sobre Cosmologia, por ser considerado um conteúdo difícil de ser trabalhado e assimilado pelos alunos, muitos pesquisadores se preocupam em investigar como está sendo ensinado. Mesmo com algumas diferentes metodologias como: discussões, desenhos e outros, os tópicos selecionados sempre se referem ao  Big-Bang e à Origem do Universo e evidenciam que os alunos têm grande interesse pelo assunto.

Mesmo assim, percebe-se uma deficiência em pesquisas que explorem recursos didáticos. Mesmo a Cosmologia sendo um conteúdo que requer um maior conhecimento de Física e Matemática, futuras pesquisas podem apresentar novas metodologias visando facilitar o trabalho dos professores e um maior aproveitamento de seus alunos.

Arquivo do Trabalho: 

application/pdf iconSNEA2011_TCP30.pdf

CONTATO

Sociedade Astronômica Brasileira
Rua do Matão, 1226 - Cidade Universitária - USP
CEP 05508-900 - São Paulo - SP
Tel: (11) 98154-8772 - e-mail: secret@sab-astro.org.br/ sab.secretaria.email2@gmail.com
Horário de atendimento: Terça e Quinta-feira das 09h00 às 12h00 e das 12h30 às 15h00
Powered by Wild Apricot Membership Software