SOCIEDADE ASTRONÔMICA BRASILEIRA

O CONHECIMENTO DA FORMA DA TERRA NOS CADERNOS DA PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO (CO7)

Autores: 

Flávia Polati Ferreira (Mestranda em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo), Cristina Leite (Instituto de Física, Universidade de São Paulo)

Palavras-chave: 

forma da Terra, material didático, Proposta Curricular do Estado de São Paulo

Atualmente é comum a divulgação de fotografias da Terra tiradas por sondas ou telescópios no espaço onde a Terra aparece redonda, geralmente azul e com nuvens. No universo escolar também é corriqueiro o uso de modelos didáticos como globos terrestres e mapas-múndi para apresentar nosso planeta. Diante de um universo tão grande de representações da Terra é difícil imaginar que ainda haja pessoas que concebam a Terra como sendo plana. Entre as décadas de 70 e 90, diversas pesquisas nacionais e internacionais realizaram estudos envolvendo as concepções de crianças, adolescentes e professores de ciências, em distintas culturas, sobre a forma da Terra. As noções de Terra encontradas variaram desde a forma plana até a esférica, no entanto, entre os estudantes que representavam a Terra esférica, havia alguns que demonstravam dificuldades em apresentar, por exemplo, a direção da gravidade apontada sempre para o centro da Terra. Além disso, nem sempre se encontra presente nos materiais didáticos a articulação entre o planeta que habitamos e as várias fotografias ou modelos representativos da Terra. Diante deste cenário, analisamos neste trabalho de que maneira o tema “forma da Terra” é proposto nos Cadernos de Ciências referentes à Proposta Curricular do Estado de São Paulo. O impacto deste material e sua ampla distribuição evidenciam a importância de sua análise, já que a rede pública do Estado de São Paulo conta com cerca de 250.000 professores e um número de alunos superior a 5 milhões. Nossa amostra é constituída por nove atividades encontradas nas “Situações de Aprendizagem” 1, 2 e 3 dos cadernos do  4º bimestre da 5ª série. A partir da leitura dos trabalhos que evidenciaram as noções de alunos e professores sobre a forma da Terra, foi possível elencar três categorias para análise das atividades:referencial, escala e gravidade. Além disso, após intensa leitura das atividades dos cadernos, estruturamos duas outras categorias que também evidenciam características importantes: estrutura interna e representação da Terra. Dentre as atividades analisadas, foram identificadas seis atividades que exigem algum tipo de representação do planeta; duas que se referem ao papel dos referenciais nas observações da forma da Terra; quatro que trabalham noções de escala de espaço e tempo; duas envolvendo a representação do sentido da gravidade e, por fim, duas que discutem a estrutura interna da Terra. Em algumas atividades foram identificados mais de um aspecto da esfericidade da Terra e, desta forma, foram classificadas em mais de uma categoria. Percebemos nas atividades analisadas às cinco categorias da construção da noção de Terra esférica, havendo uma predominância de atividades que estão na categoria representação¸ mostrando a preocupação desse material em apresentar os significados das diferentes representações do planeta. A partir da análise realizada neste trabalho, acreditamos que os cadernos de Ciências da Proposta Curricular do Estado de São Paulo no tema “forma da Terra” constituem um material privilegiado de inserção deste tema que, de certa maneira, avançam em relação a outros materiais didáticos, pois trabalham características importantes da construção da noção de Terra esférica evidenciadas pelas pesquisas da área.

Arquivo do Trabalho: 

application/pdf iconSNEA2011_TCO7.pdf

CONTATO

Sociedade Astronômica Brasileira
Rua do Matão, 1226 - Cidade Universitária - USP
CEP 05508-900 - São Paulo - SP
Tel: (11) 98154-8772 - e-mail: secret@sab-astro.org.br/ sab.secretaria.email2@gmail.com
Horário de atendimento: Terça e Quinta-feira das 09h00 às 12h00 e das 12h30 às 15h00
Powered by Wild Apricot Membership Software